Nosso Legado: Derrama Luz em Minhas Trevas

0
34

Por: Luziane Araújo

No princípio, na criação dos céus e da terra, Deus se deparou com o algo que não tinha FORMA e que era VAZIO, coberto de TREVAS… O seu Espírito pairava por sobre as águas. A primeira ordem que Ele deu foi, HAJA LUZ! E Houve Luz.

Comparo essa situação com as nossas vidas, tudo antes da ação do Espírito Santo é SEM FORMA E VAZIO, CHEIO DE TREVAS. A primeira ordem do Pai é derramar LUZ sobre nós, não por que Ele não consegue nos ver, mas para que nós possamos ver, aquilo que o nosso coração mascara, aquilo que justificamos, aquilo que chamamos por um outro nome.

O profeta Jeremias registrou algo muito peculiar a respeito disso “Enganoso é o coração, MAIS DO QUE TODAS AS COISAS, e desesperadamente corrupto… (Jeremias 17:9a). Ou seja, traiçoeiro, perigosamente enfermo, incurável. Todos os dias precisamos submetê-lo ao Senhorio de Jesus, para não sermos sabotados pelas nossas emoções, pensamentos, intenções.

Quantas vezes defendemos com “unhas e dentes” uma CONVICÇÃO dentro de nós que tem nas suas “bases” egoísmo, orgulho e injustiça e muitas vezes nem nos damos contas de imediato.

Como podemos lidar com isso?

A bíblia está repleta de soluções para isto, mas gostaria de destacar o que o Apóstolo Paulo escreveu em sua primeira carta à Igreja em Corinto “Examine-se pois, o homem a si mesmo…” (1Co. 11:28a). O Verbo “Examinar empregado nesta passagem vem do grego dokimazetõ que significa (Testar como a metais). Um rigoroso auto-exame! O contexto dessa passagem era para confrontar e orientar os irmãos acerca do seu comportamento no momento da Ceia, o coração dessas pessoas abrigavam, ocultando suas verdadeiras intenções, mas o comportamento delas as denunciavam.

Em outra ocasião, o Apóstolo adverte mais uma vez a mesma Igreja em sua segunda carta “Examinai-vos a vós mesmos SE REALMENTE estais na fé; provai-vos a vós mesmos…” (2Co. 13:5a). Era uma igreja que era acompanhada pelo Apóstolo Paulo, era amada e cuidada por ele, porém viviam recorrendo constantemente a pecados que pelo tempo e pela mensagem investida já deveria ter sido superada. Fala do ESSENCIAL do evangelho, o credo objetivo sem o qual não há salvação. Aquele que realmente está na fé tem o ESPÍRITO e PRODUZ seu fruto.

Quanto tempo ESTAMOS na igreja?

E quanto tempo SOMOS igreja?

Talvez, muito provavelmente, a falta de entendimento destas duas dimensões pode explicar o fracasso com PECADOS DE ESTIMAÇÃO não vencidos até hoje!

“Se porém, andarmos na LUZ, como Ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, Seu Filho nos purifica de todo pecado.” (1Jo.1:7).

Interessante que o Apóstolo João associa a LUZ com COMUNHÃO e essa comunhão refere-se diretamente de uns para com os outros e se este trecho não for o suficiente para entendermos com clareza, ele vai ressaltar de forma mais aberta “Aquele que diz ESTAR NA LUZ e odeia a seu irmão, ATÉ AGORA, está nas trevas. Aquele que ama a seu irmão PERMANECE na LUZ, e nele não há nenhum tropeço. Aquele, porém, que odeia a seu irmão está nas trevas, e ANDA NAS TREVAS, e não sabe para onde vai, porque as TREVAS lhe cegaram os olhos.” (1Jo. 2:9-11).

É forte se deparar com esta verdade bíblica e se aplicarmos um auto-exame como nos orienta as escrituras, encontraremos certamente pessoas com a qual podemos “mascarar” o desamor, o desprezo que sentimos por elas.

Você pode dizer para si mesmo EU NÃO ODEIO, mas não pode dizer QUE AMA, porque você NÃO AMA! Então o que é que sente por elas? … Tem seus motivos? Não tem motivos?

Os nosso motivos, as nossas justificativas não podem mudar o que a PALAVRA DE DEUS nos ensina, tudo o que podemos fazer é guardar e obedecer absolutamente, confiando nos planos, na justiça e na fidelidade do Pai com sinceridade. Negligenciar isso é se deixar aprisionar em calabouços emocionais e espirituais, é ter a sua oferta rejeitada, é não ter a sua oração ouvida ou atendida, é não ser perdoado em suas ofensas, é oferecer sacrifícios deformados e defeituosos ao Senhor.

Amar quem nos ama, é muito fácil, todo mundo age assim, mas amar aqueles que nos ferem, nos desprezam, nos perseguem é coisa de NASCIDO DO ESPÍRITO, achamos difícil porque olhamos pela ótica humana e se for assim FRACASSAREMOS. É aqui, nesse ambiente de provas que os frutos do Espírito são manifestos em nossas vidas. Precisamos passar por isto com êxito para que nos TORNEMOS FILHOS DO PAI. (Mateus. 5:43-45).

Deu para perceber quanto engano pode estar afogando o nosso coração? Tanta preocupação em não CAIR em “PECADOS GRANDES” e tanta subestimação com os “PECADINHOS”. O que está mais evidente em nossas atitudes? O amor, a paz, a alegria, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade, a mansidão, o domínio próprio? (Note que dos nove frutos declarados TODOS eles validam a comunhão mútua entre nós).

Vamos falar somente das obras que a NOSSA CARNE produz quando o Espírito Santo está AUSENTE das nossas vidas? O quanto de inimizade está abrigado no meu coração? O quanto de porfia, (significa birra, obstinação, teimosia) está impregnado no nosso comportamento? E o ciúme, não suportamos ver um membro novo chegando que logo um despeito toma conta do nosso rosto? E a inveja, aquele sentimento de inferioridade em relação ao outro que brota sutilmente? Iras, discórdias, dissenções e facções o cenário perfeito para a divisão desestabilizar qualquer aliança de comunhão que possa existir.

Culpamos o diabo, culpamos a igreja, culpamos os outros, mas tudo isso poderia ser amenizado ou até mesmo evitado se examinássemos o nosso PRÓPRIO CORAÇÃO e encontrando vestígios ESTRANHOS, contrários à Palavra, nos arrependêssemos clamando para que o Senhor derramasse LUZ em nossas trevas.

Comentário