Assembleia de Deus nomeia 1ª pastora da denominação no Brasil

0
27

Márcia Nunes de Alencar Monteiro (46), tornou-se a primeira pastora dirigente de congregação e área da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Brasil. A posse aconteceu no domingo (08/11), na congregação da Djalma Batista – igreja que a pastora será responsável. O presidente da IEADAM no Amazonas, Pr. Jonatas Câmara foi quem realizou o culto.

A pastora é viúva do Pr. Kelvy Monteiro, que fundou a congregação em 2009 e faleceu, aos 48 anos no último dia 30, vítima de um AVC. Casados há 25 anos e com 2 filhos, o pastor foi homenageado no último dia 1 desse mês, em culto fúnebre cheio de emoção.

“É um sentimento de gratidão. Gratidão a Deus em primeiro lugar, pelo privilégio e pela vida. E também, de saudade. Saudade pela pessoa que o Kelvy representava para esta igreja e o que fica é o desejo de continuar, e levar o ide de Jesus até o arrebatamento”, disse a pastora.

Márcia afirmou ser um privilégio continuar servindo a igreja que fundou junto com o marido e que estava honrada em fazer história. “Representando um legado de mulheres. Só Deus pode fazer isso na vida de alguém. Igreja não tem dono. O dono das igrejas é Jesus. Agradeço a presidência e a toda diretoria desta igreja pela confiança”, disse.

Durante o culto, Jonatas Câmara afirmou que houve pressa na escolha do sucessor de Monteiro e que o nome de Márcia sempre esteve nas conversas da cúpula da igreja. O dirigente estadual disse que a decisão do conselho foi unânime, para a comemoração da igreja.

Ao jornal A Crítica, Câmara defendeu que as mulheres já possuem um papel de destaque dentro da Igreja IEADAM. “É a primeira pastora dirigente de área e de igreja. Já temos diaconisas e pastoras de congregação, mas como pastora titular de uma igreja, ela será a primeira”. salientou.

Jonatas destacou também que a consagração de Márcia é um momento histórico na igreja brasileira. “Gratidão a Deus por esse tempo. Acreditamos que existe muita justiça bíblica. Porque quando Deus unge uma pessoa, o faz sem distinção de classe social, raça, cor e sexo. Ele unge o homem e a mulher. A nossa igreja graças a Deus entendeu isso e já vem credenciando pastoras como auxiliares”, revelou.

O pastor defendeu também que o título de Márcia será o primeiro de muitos porque a igreja recebeu de maneira extremamente positiva a posse da pastora. “Isso nos alegra e deu pra perceber pela alegria da igreja que Deus está neste negócio”, finalizou.

Após a consagração, a pastora liderou o culto de Santa Ceia da igreja.

Comentário