Projeto quer ajudar jovens cristãos na faculdade

0
12
Foto: Divulgação/Internet

A vida dos jovens que pretendem ingressar na universidade não é fácil, principalmente daqueles que aspiram a uma vaga nas principais universidades do país, quase sempre públicas.

Milhares de meninos e meninas se inscrevem por meses ou mesmo décadas para passar no vestibular, o que é um incentivo muito poderoso para se obter o ensino superior sem pagar. Mas para os jovens cristãos, este desafio é muito mais complicado, porque as universidades ao redor do mundo e nosso país são os modelos definitivos desta trágica realidade, quase exclusivamente para a formação de ateus e progressistas morais.

O retrato estatístico do desempenho de  dos jovens cristãos na faculdade mostra que os moços evangélicos estão sofrendo os terríveis efeitos do embate diário com a apostasia intelectual. De cada dez jovens cristãos que ingressam na academia, seis passarão por terríveis crises de fé, e metade destes nunca mais retornará aos caminhos do Senhor. Quer dizer que 30% dos rapazes e moças que nossas igrejas mandam para as faculdades, estão sendo enviados para a morte espiritual.

O pastor Claudionor de Andrade, consultor teológico da EETAD (Escola de Educação Teológica Assembléias de Deus), disse que a hostilidade à fé cristã nas universidades é inegável: “Infelizmente, mesmo as universidades estabelecidas por igrejas evangélicas, com o passar do tempo, tornaram-se verdadeiras hostil. Crenças bíblicas. A razão para esse dualismo é porque a faculdade não aceita o fato de que os seres humanos são criados para desempenhar o papel de teólogos e cientistas em todo o mundo. “

Não é fácil a vida do jovem que pretende ingressar na universidade, especialmente daquele que ambiciona uma vaga nas principais faculdades do país, quase sempre públicas. A possibilidade de fazer o curso superior sem pagar é, realmente, um incentivo muito forte para que vários milhares de rapazes e moças se apliquem por meses, ou, não raro, até por anos, para serem aprovados no vestibular. Mas para os jovens cristãos, esse desafio é bem mais complexo, pois as universidades em todo o mundo, e nosso país é um exemplo acabado desta triste realidade, destinam-se quase exclusivamente a formar militantes do ateísmo e do progressismo moral.

O retrato estatístico do desempenho de  dos jovens cristãos na faculdade mostra que os moços evangélicos estão sofrendo os terríveis efeitos do embate diário com a apostasia intelectual. De cada dez jovens cristãos que ingressam na academia, seis passarão por terríveis crises de fé, e metade destes nunca mais retornará aos caminhos do Senhor. Quer dizer que 30% dos rapazes e moças que nossas igrejas mandam para as faculdades, estão sendo enviados para a morte espiritual.

Como as igrejas e seus líderes, e, claro, os pais destes jovens podem ajudá-los? Proibi-los de cursar uma faculdade é impensável, especialmente com as presentes demandas do mercado de trabalho. Abrir faculdades evangélicas não é tarefa fácil ou barata, além de exigir um nível de coordenação e empenho das igrejas que a esmagadora maioria dos pastores não está disposta a entregar. Mas não é possível, também, fechar os olhos ao problema, ele existe!

O pastor Claudionor de Andrade, Consultor Teológico da EETAD (Escola de Educação Teológica das Assembleias de Deus), afirmou que a hostilidade à fé cristã nas universidades é inegável: “Infelizmente, até mesmo universidades fundadas por igrejas evangélicas vieram, com o tempo, a tornar-se hostis à genuína fé bíblica. Esse dualismo ocorre, porque a academia não aceita o fato de que o ser humano foi criado para atuar, na administração do mundo, como teólogo e cientista.”

De acordo com o Pastor Claudionor, “os sábios deste século acham impossível a junção entre a fé cristã e a verdadeira ciência. Devido à tal concepção, gerada pelo Iluminismo, eles contrapõem a razão à fé, como se a nossa fé não fosse razoável. Quando, porém, nos voltamos à Bíblia Sagrada, constatamos que o culto divino requer uma postura racional do crente em Jesus Cristo”.

Que o perigo existe, por tanto, ninguém duvida. Mas por que nossos jovens são tão suscetíveis a eles? Parte da resposta está no fato de o moço evangélico ser desafiado por professores que têm de atividade acadêmica muitos mais anos do que o aluno tem de vida. Não é fácil para um jovem resistir a um professor com três décadas de cátedra que insiste em desqualificar a Bíblia ante os preceitos ditos científicos.

De acordo com o Consultor Teológico da EETAD “antes de tudo, este é o maior perigo: colocar a razão e a ciência acima da Bíblia Sagrada, a inspirada e sempre atual Palavra de Deus. Portanto, levemos em conta que a razão e a ciência, quando legitimamente usadas, jamais contraditarão os santos profetas e os apóstolos de Nosso Senhor. Colocadas em seu devido lugar, ambas hão de reconhecer os seus limites, porquanto já não desconhecem as infinitudes do Criador de todas as coisas.” O pastor Claudionor instrui que “Daniel e seus três companheiros foram bem-sucedidos na academia babilônica, porque sempre alçaram a Palavra de Deus acima de todos os conhecimentos e saberes humanos.”

Comentário