Ministra Damares critica aborto em menina de 10 anos

0
21

Na noite desta quinta-feira (17/09), a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, em uma entrevista, defendeu que a menina que foi estuprada pelo tio dos seis aos dez anos de idade, no Espírito Santo, deveria ter levado a gravidez adiante e feito uma cesárea.

Damares falou em entrevista ao jornalista Pedro Bial, no programa “Conversa com Bial” sobre o caso de aborto em uma menina de dez anos estuprada. Ela criticou o procedimento e apontou a possibilidade da criança passar por uma cirurgia de cesárea para dar à luz.

Para a ministra, o correto seria aguardar duas semanas e antecipar o parto. “Os médicos do Espírito Santo não queriam fazer o aborto, eles estavam dispostos a fazer uma antecipação de parto. Seriam mais duas semanas, não era ir até o nono mês, a criança [não iria] ficar nove meses grávida. Mais duas semanas e poderia ter sido feito uma cirurgia cesárea nessa menina, tiraria a criança, colocaria em uma incubadora e se sobrevivesse, sobreviveu. Se não, teve uma morte digna”.

O aborto na menina foi realizado em Recife pelo Dr. Olímpio Moraes Filho, após autorização do juiz Antonio Moreira Fernandes, da Vara de Infância e da Juventude de São Mateus. O caso levou militantes antiaborto a protestarem na frente do hospital onde o procedimento foi feito com o objetivo de tentar impedir a interrupção da gestação.

Dois assessores do ministério de Damares são suspeitos de terem vazado a identidade e a localização da menina, e estão sob investigação. No entanto, a ministra disse botar a mão no fogo de que não foram eles os responsáveis pelo delito.

“A nossa equipe foi à cidade com um deputado estadual e as três reuniões que fizemos lá foram com muitas pessoas juntas na delegacia, no Conselho Tutelar e na Secretaria de Ação Social. Em momento algum os profissionais disseram para os nossos técnicos o nome dessa menina”, explicou Damares.

“Mesmo porque não era só com essa menina que o ministério estava preocupado, era com todo o contexto em São Mateus. Naquela cidade existem outros casos, inclusive, há uma menina de 11 anos que já está com um bebê no colo”, concluiu.

Comentário