Japonesa encontrada em cachoeira do centro de João de Deus foi estuprada e morta a pedrada

0
59

Hitomi Akamatsu, 43, encontrada morta em uma cachoeira da Casa Dom Inácio de Loyola, centro que era usado por João de Deus em Abadiânia (GO), foi estuprada e assassinada a pedradas, segundo afirma a polícia. O autor do crime é Rafael lima da Costa, 18, que confessou o homícidio.

A perícia do corpo apontou traumatismo craniano como causa da morte, sendo que o golpe pode ter sido provocado por uma pedra. Rafael detalhou como tudo aconteceu e contou que sabia que o centro espiritual usado por João de Deus em seus atendimentos era bastante procurado por estrangeiros e decidiu rondar o local para achar uma vítima para roubar, segundo publicação do UOL.

Ainda de acordo com o UOl, em depoimento, ele confessou que decidiu estuprar Hitomi após perceber que ela não tinha objetos de valor e estava de biquíni.De acordo com a delegada responsável pelas investigações, Isabella Lima e Silva, Hitomi estava desacordada, mas acabou recobrando a consciência durante o ato sexual e tentou gritar.

“As roupas dela têm indícios de sêmen, estamos aguardando resultado de exames. Ele falou que a intenção dele era realmente roubá-la, mas ela não tinha nada de valor. Acabou vendo ela de biquíni, deu o primeiro mata-leão [golpe de enforcamento] e ela desmaiou. Quando ela recobrou a consciência percebeu que estava sendo estuprada e começou a gritar. Foi quando ele decidiu matá-la”, contou a delegada Isabella Lima em entrevista ao Uol.

Rafael fez uma cova rasa, pegou o corpo dela e enterrou cobrindo-o com pedras. A delegada estava que ele não demonstrou nenhum arrependimento e afirma essa não é a primeira vez que ele comete esse tipo de crime. Lima já tem outras duas passagens por estupro, ambas registradas quando ele ainda era menor de idade. Para ela, o acusado já tinha a intenção de estuprar a japonesa.

A mulher sobreviveu ao desastre nuclear de Fukushima e foi exposta a alto grau de radiação. Ela estava se tratando no centro e havia chegado há dois dias no local.

Comentário