Centro de Reabilitação Antônio Aleixo é habilitado pelo Ministério da Saúde como centro de especialização em tratamento para PCDs

0
10

O Ministério da Saúde habilitou o Centro de Reabilitação Antônio Aleixo, na zona Leste da cidade, a ofertar serviços na categoria de especialização. A resolução, publicada no mês de outubro no Diário Oficial do Estado, classifica a unidade como Centro Especializado de Reabilitação (CER) tipo 2. A habilitação ocorreu após solicitação da Secretaria de Estado de Saúde (Susam) e vai permitir, ainda, que o Centro receba recursos do Governo Federal.

A aposentada Ednelza Galvão, de 60 anos, teve meningite bacteriana, passou meses em coma e, por complicações da doença, precisou amputar os membros inferiores e superiores.

“Quando eu acordei, já estava sem os membros, mas eu não me desesperei, nem fiquei triste, porque Deus tinha me dado minha vida de volta né, porque eu não tinha chance de vida”, afirmou.

Após a amputação, Ednelza sentiu que precisaria de atendimento fisioterápico para auxiliar nos movimentos e procurou o Centro de Reabilitação, onde hoje faz acompanhamento com fisioterapeuta, nutricionista e psicólogo.

Atendimentos – Atualmente, o Centro realiza, em média, cerca de quatro mil atendimentos realizados pelos profissionais que atuam na unidade, entre fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeuta ocupacional, psicólogos, assistentes sociais e uma enfermeira.

Segundo o diretor do Centro, a qualificação do serviço e da equipe fizeram com que a Secretaria de Estado de Saúde solicitasse a habilitação junto ao Ministério da Saúde.

“O que muda é que, a partir da habilitação, nós teremos um Centro Especializado em atenção neurológica, principalmente em patologias neuroinfantis, e vai ser o segundo centro especializado nessa área. Antes, o paciente era atendido de uma forma geral. A partir dessa habilitação, a população vai ter conhecimento que nós somos especializados em atendimento neuroinfantil”, afirmou Cesar Carvalho, diretor do Centro.

Recursos – Com a habilitação, o CER vai receber recursos federais e condições de, anualmente, capacitar todos os profissionais, além de dar condições adequadas de manutenção da estrutura, na aquisição de equipamentos, como o PediaSuit, que auxilia crianças como o Gabriel, de dois anos e nove meses, que nasceu com microcefalia.

“Depois que o meu filho nasceu, ele nasceu com todos os movimentos, somente o crânio que estava diminuído. E aí foi fazer exame e com um mês meu filho paralisou; o corpo dele todinho, não tinha mais movimento, perdeu todos os movimentos de uma hora pra outra”, afirmou a mãe, Romilda Joicy Marques, de 37 anos.

O menino faz o atendimento do PediaSuit pelo menos uma vez por semana, mas desde cedo também é acompanhado por outros profissionais do Centro.

“É muito importante ter esse centro aqui porque eu poderia até fazer, como diversas vezes a gente fez, fazer uma rifa para pagar o tratamento particular para o meu filho, mas eu não vou encontrar o profissional que tem aqui, então aqui é muito importante porque eles se especializaram em tratar crianças com microcefalia”, afirmou Romilda.

Oficina ortopédica – Hoje, o Centro Especializado de Reabilitação Antônio Aleixo também possui a única oficina ortopédica do estado, com a devida atenção médica e curativo especializado. Na oficina, também é feita a adequação de calçados, palmilhas, órteses, próteses ou qualquer outro meio auxiliar de locomoção.

Comentário