Professora da rede pública do AM é selecionada para intercâmbio no Canadá

0
10
Paula Priscila Rocha Gil, da Escola Estadual Sólon de Lucena, foi escolhida com outros 101 brasileiros para intercâmbio de capacitação pedagógica. FOTO: PORTAL A CRÍTICA

MANAUS| A professora da rede pública estadual do Amazonas Paula Priscila Rocha Gil, de 31 anos, foi uma das selecionadas pelo Programa de Desenvolvimento Profissional de Professores da Educação Básica no Canadá – em parceria da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e a Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM).

A profissional, que ensina a disciplina Língua Espanhola, na Escola Estadual Sólon de Lucena, na Zona Centro-Sul de Manaus, viajará para a cidade de Ottawa, na terra do Maple, onde participará de um intercâmbio de oito semanas. Ao todo, foram escolhidos 102 professores de todo o Brasil.

Paula foi selecionada com o projeto “Empreendedorismo e sustentabilidade como ferramentas de combate à evasão escolar: uma abordagem interdisciplinar da Língua Espanhola”, no qual aposta em uma visão ecossustentável para frear o alto índice de alunos que abandonam as escolas, principalmente, no período noturno.

“Nós sabemos que essa evasão [escolar] acontece por diversos fatores e pretendo, por meio de uma aplicação interdisciplinar da Língua Espanhola, que esses alunos confeccionem itens utilizando materiais recicláveis e de baixo custo”, afirmou a professora. “Meu projeto termina com uma mostra de produtos ou serviços criados com ideias sustentáveis e que podem ser comercializados”, completou Paula.

A professora viajará para o Canadá no próximo mês de julho e receberá pelo programa federal passagens, estadia, três refeições diárias, transporte para a universidade e uma bolsa de C$ 600 (dólar canadense). O intercâmbio de capacitação será dividido em duas partes, sendo a primeira um curso básico de Inglês e a segunda um workshop de formação para professores, voltado para gestão de aula e aprendizagem centrada no aluno.

“A intenção é que, na volta a Manaus, possamos pôr em prática esse projeto não somente na minha escola [Sólon de Lucena], mas, também, em muitas outras da rede pública de ensino que possuem um alto índice de evasão escolar”, finalizou Paula.

FONTE: PORTAL A CRÍTICA

Comentário