Presidente Jair Bolsonaro cogita acabar com a Ancine

0
15
(Brasília - DF, 15/07/2019) Presidente da República, Jair Bolsonaro, durante a cerimônia de posse do Presidente do BNDES, Gustavo Henrique Moreira Montezano.rFoto: Marcos Corrêa/PR

BRASIL O presidente Jair Bolsonaro deve transferir o Conselho Superior do Cinema, responsável pela formulação da política nacional de audiovisual, do Ministério da Cidadania para a Casa Civil.

A mudança faz parte de decreto formulado pelo Palácio do Planalto e a expectativa é que seja assinado nesta quinta-feira (18), em cerimônia comemorativa dos 200 dias do atual governo.

Segundo relatos, o presidente está insatisfeito com a atual política de fomento ao cinema e pretende fazer alterações na estrutura.

Além da transferência do órgão colegiado para o Palácio do Planalto, em uma tentativa de ter mais influência sobre ele, o presidente avalia extinguir a Ancine (Agência Nacional do Cinema), atualmente em crise.

A expectativa é de que as mudanças sejam tratadas pelo presidente nesta quinta com o ministro da Cidadania, Osmar Terra.

No final do ano passado, o ex-presidente Michel Temer já havia feito alterações no colegiado de cinema, diminuindo o espaço de cineastas e aumentando o de representantes das telecomunicações.

O conselho foi criado em 2001 e é composto por nove titulares e nove suplentes. É de sua competência aprovar diretrizes gerais para o desenvolvimento da indústria audiovisual e estimular a presença do conteúdo brasileiro nos segmentos de mercado.

Os representantes da indústria audiovisual e da sociedade civil, assim como seus suplentes, são nomeados pelo presidente para mandatos de dois anos, sendo permitida uma recondução.

Comentário