“Não há nada que Deus não possa fazer”, diz mulher que ‘ressuscitou’ após ser dada como morta

0
315

(Guiame)

Dawn Cypret havia acabado de chegar em casa após as compras de Natal, quando recebeu um telefonema do consultório médico. Ela, que estava com dores na garganta soube que o que sentia era muito mais grave do que imaginava. Assim que desligou o telefone, ligou para a emergência e disse que estava sofrendo um ataque cardíaco. No caminho para o hospital, ela e seu esposo oraram desesperadamente.

Mike lembra: “Minhas orações pediam a Deus para que nada aconteça a ela”. Dawn compartilha: “E eu disse: ‘Senhor, eu não posso deixar meus filhos ainda. Eu não posso deixar meu marido, nem meu neto. Preciso de mais tempo aqui’”. No hospital, os médicos descobriram que quatro de suas artérias estavam quase que completamente bloqueadas, e ela precisaria de uma cirurgia de revascularização.

Mike diz: “Fiquei preocupado. Naquela época, estávamos casados há ​​39 anos e eu não queria perdê-la”. Faltava uma semana para o Natal quando Dawn foi para a sala de cirurgia. Amigos e familiares, incluindo seu neto Ethan passaram a orar. Ele compartilha: “Fiquei de joelhos e comecei a interceder para que minha avó ficasse a salvo”.

A cirurgia foi conforme planejado e Dawn foi levada à recuperação. Mas cinco horas depois, ela ficou teve de voltar para a cirurgia onde morreu na mesa. Mike lembra: “Minutos depois que ela morreu, veio um pastor”. Os médicos disseram que Dawn estava morta há 20 minutos quando sem qualquer explicação seu coração voltou a bater. Ela foi levada para a UTI, mas os médicos advertiram que ela tinha apenas uma chance de vida.

Dois dias depois, Dawn saiu do coma induzido. Na época, Mike estava na sala de espera. “Duas de minhas filhas entraram e conversaram com ela quando Dawn abriu os olhos”. Na véspera de Natal, Dawn estava falando. O esposo lembra do que aconteceu. “Ela me disse que tinha ido ao céu, que viu Jesus. Ela começou a contar tudo”.

Dawn comenta: “Lembro-me de ter realmente deixado esse corpo. Fui para as margens do céu. Não demorou muito, de repente, começamos a ouvir as pessoas gritando: ‘Jeová! Jeová!’. E enquanto Ele atravessava, irradiava luz. Então, Jesus e eu estávamos andando lado a lado, e eu pude ver que Ele tinha cicatrizes nas mãos. E no momento em que vi isso, foi lindo. Este foi o homem que morreu pelo mundo. E eu estava de pé ao lado dele”, lembrou.

Os médicos disseram a Dawn que ela provavelmente nunca mais caminharia devido ao trauma cirúrgico. Mas ela acreditava em Deus e por um milagre, depois de um ano deixou a cadeira de rodas para se tornar uma caminhante. Dawn diz: “Eu digo que não há nada. Não há nada que Deus não possa fazer”.

Confira a reportagem da CBN News (em inglês):

Comentário