Mike Pence adverte estudantes para não se curvarem aos “ídolos da cultura popular”

0
18
FOTO: REUTERS/Yuri Gripas

MUNDO| O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, esteve mais uma vez na Liberty University, onde discursou para uma multidão de estudantes durante uma cerimônia de formatura.

A universidade é conhecida por ser uma das maiores instituições de ensino superior do mundo com identidade cristã. O próprio Pence possui funcionários em seu gabinete que foram formados na instituição.

Na ocasião do discurso, Pence fez advertências aos estudantes sobre o contexto cultural atual, dizendo que por acreditarem na Bília Sagrada como Palavra inerrante de Deus, eles serão discriminados e sofrerão tentativas de ridicularização no mercado de trabalho.

“As vozes mais altas para a tolerância, têm pouca tolerância para as crenças cristãs tradicionais. Esteja preparado”, disse o vice-presidente, segundo informações do USA Today.

Pence destacou que algum tempo atrás não havia esse tipo de reação aos cristãos no meio secular, mas que agora às coisas são diferentes.

Jarry  apresentou Pence aos formandos como “um dos vice-presidentes mais engajados e influentes da minha vida”, apesar de enfrentar o “escrutínio implacável de uma imprensa hostil”.

Ainda em seu discurso, Pence citou o exemplo bíblico de Sadraque, Mesaque e Abednego, citado pelo livro do profeta Daniel. Os três homens se negaram a se curvar perante os ídolos do rei Nabucodonosor. O governante, por sua vez, ordenou que eles fossem lançados em uma fornalha e ainda mandou aumentar significativamente às chamas.

No entanto, os homens não foram queimados e ao olhar dentro da fornalha, Nabucodonosor viu que havia um quarto homem, isto é, um anjo do Senhor protegendo Sadraque, Mesaque e Abednego.

“Apenas saibam disso: se, como Sadraque, Mesaque e Abednego, vocês acabarem no fogo, haverá outro no fogo”, disse Pence, explicando que no dia-a-dia os formandos serão convidados a se “curvarem aos ídolos da cultura popular”, mas que eles deverão resistir.

“Porque nossa nação e nosso mundo precisam dessa mensagem de graça e amor, talvez mais agora do que nunca”, concluiu.

Comentário