Projeto Social Fundação Matias Machline mantém biblioteca com mais de 16 mil exemplares

0
23

AMAZONAS | A biblioteca Kuk Sang Song, localizada na Fundação Matias Machline – Um dos maiores Projetos Sociais de Educação da região Norte, une leitura e tecnologia a um ambiente confortável e equipado. Com aproximadamente 16.500 exemplares e 6000 títulos, incluindo literaturas básicas e técnicas nas áreas de Eletrônica, Informática e Mecatrônica, o espaço possui uma rede de computadores disponível para pesquisas de livros e autores, agregando o conhecimento escolar.

 

Para Deusa Silva, bibliotecária e responsável pelo espaço, é importante que os alunos se sintam confortáveis na biblioteca para um melhor aprendizado: “Daqui você tem visão da área interna e da área externa. Isso ajuda com que a mente flua pra que eles tenham um bom estudo em um ambiente aberto, então o aluno não se sente restrito. Eles estão estudando mas estão vendo o que está acontecendo lá fora”, afirmou.

 

A bibliotecária relatou também que, através de um sistema de empréstimo, os estudantes podem ficar com um livro por 10 dias quando paradidáticos e, se didáticos, com três livros por até quatro dias. Dotado de três tipos de serviços de alerta, sendo dois virtuais e um que conta com a cooperação dos próprios representantes de turma,  para lembrar com frequência os alunos sobre cuidados com as obras, datas de devolução e agendamentos, o sistema também controla o empréstimo anual de livros didáticos, entregues aos estudantes no início do ano letivo e vistoriados no fim dos semestres, incentivando a boa conservação das literaturas.

 

A Biblioteca, cujo o nome é em homenagem ao pai de Sung Un Song, Diretor Executivo da FMM, contém uma videoteca semi-acústica equipada com kit multimídia, cinco caixas de som blue-ray e 16 lugares para atividades diferenciadas. Deusa Silva contou ainda que, além de oferecer um ambiente agradável e equipado, a biblioteca desenvolve projetos na área de incentivo à leitura e escrita em parceria com alunos e professores, como o Reescrevendo a História, atividade onde estudantes produzem, em forma de revista, uma linha do tempo da trajetória da instituição, e o Projeto Blog que, desde 2014, busca desenvolver a linguagem juvenil nas mídias, contendo materiais produzidos pelos próprios alunos com base em escolas literárias.

Projetos desenvolvidos:

Com responsabilidade social e trabalho em conjunto, são desenvolvidos também outros projetos como o Concurso de Poesia, Projeto Sarau e o Eu Escritor, atividade que incentiva a produção de livros escritos e produzidos pelos próprios estudantes durante os três anos do ensino médio. A bibliotecária relata, ainda, que alguns estudantes se descobriram escritores nas atividades da biblioteca, como é o caso de Jan Santos, autor dos livros Evangeline, Relatos de Um mundo Sem Luz e A Rainha de Maio. Deusa Silva acrescenta que, muitos dos estudantes que desenvolveram o projeto, retornam com frequência para visitar a FMM, pois não conseguem se desvincular da paixão pelo espaço.

 

Para os estudantes Ádria Barreto, José Ricardo e Leonardo Ramos, a biblioteca da instituição é o principal auxílio para os estudos, pois oferece aos alunos que não têm condições de arcar com os livros didáticos acesso às obras de alto valor. Os alunos contaram, ainda, que o ambiente agrada às várias formas de estudo. “ Me dá muita vontade de estudar. Claro que algumas pessoas gostam de um lugar mais fechado, mais reservado, tem a sala de leitura. Outras preferem um local mais confortável e aconchegante, onde conseguem ver a rua e a escola. ”, contou Ádria. A Fundação Matias Machline é um projeto de compromisso social que, além de proporcionar um ensino médio-técnico, promove também grande incentivo à leitura, escrita e produção, gerando grandes frutos para a literatura regional.

Comentário