Pastora assume o Ministério de Direitos Humanos

0
8
Foto: Fátima Meira

Damares Alves pastora e advogada, tomou posse do cargo de ministra na tarde de quarta-feira (02) em Brasília. Em seu discurso a ministra chegou causando inúmeras polêmicas. Aproveitando a oportunidade a mais nova ministra, falou sobre a estrutura do ministério, a partir de agora contará com oito secretarias nacionais.

O Pronunciamento

Em seu pronunciamento a nova ministra falou sobre as metas e objetivos que sua gestão busca alcançar. Em primeiro lugar, Damares negou que politicas LGBTs deixarão de existir na pasta dos Direitos Humanos e afirmou que comunidade LGBT não terá seu espaço diminuído durante o novo governo.

A nova ministra ainda disse que todas as politicas serão baseadas na família, que sofrendo ameaças desde de 2009 com um decreto assinado pelo ex-presidente Lula que dizia “que a família brasileira tem que ser destruída”. Segundo ela, isso a preocupa e seu desejo é que a nação tivesse outro decreto.

A Pastora disse que deseja um Brasil sem aborto, pois a vida começa desde a concepção e que gostaria que ministério se chamasse “Vida e Alegria”. Se pronunciou sobre a doutrinação ideológica e afirmou que está acabado a doutrinação para crianças e adolescentes. “Neste governo, menina será princesa e menino será príncipe” disse Damares.

A Polemica

Durante seu discurso Damares Alves disse “O estado é laico, mas esta meninas é terrivelmente cristã”. O discurso gerou bastante polemica e alguns internautas consideraram afrontoso.

Em outro momento, um vídeo gravado, supostamente após a posse, a ministra diz que começou uma nova era no Brasil “menino veste azul e menina veste rosa”, disse Damares.

Comentário