Pais de garoto arremessado do 3º andar de shopping oram por agressor e liberam perdão

0
11
(Imagem: Edição - Guiame)

MUNDO| Os pais de um menino de 5 anos, que foi jogado do terceiro andar do shopping “Mall of America” (EUA), por Emmanuel Aranda, de 24 anos, afirmaram que sua fé cristã os levou a perdoarem o agressor de seu filho, antes dele dele receber sua sentença de prisão no tribunal. O garoto sobreviveu à queda e continua em recuperação.

Emmanuel Deshawn Aranda, de 24 anos, foi condenado a 19 anos de prisão após confessar que cometeu o crime de tentativa de assassinato em primeiro grau, ao arremessar no dia 12 de abril, o pequeno Landen Hoffman, de 5 anos do terceiro andar do shopping no estado de Minnesota, com traumatismo craniano grave e diversos ossos quebrados.

As declarações dos pais do menino foram lidas durante os procedimentos na segunda-feira, com Aranda recusando-se a se dirigir ao tribunal, informou a NBC News.

“Seu ato foi cruel e egoísta, você escolheu ouvir as piores partes de si mesmo naquele dia”, expressou o pai do menino em sua declaração. “Você escolheu o mal acima do bem, escolheu lançar seu ódio e mágoa sobre o meu precioso filho. Eu quero que você saiba que eu te perdoo, não porque o que você fez foi bom, não porque eu quero, mas porque Deus quer isso de nós”.

“Eu não vou deixar você roubar parte da minha família: você não vai roubar nosso amor, nossa alegria, nossa paz. Você não está nos tomando nada … É aí que o seu impacto sobre nós acaba, você não vai tirar mais nada de nós”.

Em sua declaração, a mãe de Landen também disse que perdoou Aranda porque acredita que Deus espera que ela o faça.

“Você escolheu pensar em si mesmo naquele dia, no que estava sentindo e queria fazer com outra pessoa”, disse a mãe de Landen em uma declaração separada, lida pelo promotor. “Estou triste que você tenha escolhido o caminho da raiva e do ódio.”

“Deus vai julgá-lo um dia e eu estou em paz com isso”, afirmou a mãe. “Eu entrego isso nas mãos de Deus e você não vai ocupar nenhum dos meus pensamentos novamente. Encerramos isso aqui”.

Investigação

Segundo a polícia, Landen foi atirado de uma altura de 12 metros, no shopping center de Minnesota, enquanto estava com a mãe em frente ao ‘Rainforest Café’, no terceiro andar.

Aranda teria jogado o garoto por cima do parapeito depois de escolhê-lo aleatoriamente porque ele estava “querendo matar alguém” no shopping. Ele disse que planejava matar um adulto em pé perto do corrimão, mas escolhendo o garoto.

A família de Aranda insistiu que ele sofre de transtornos mentais.

“Isso é muito triste para nós. Estou triste também pela família da criança”, disse Becky Aranda, mãe do agressor, após a sentença. “Estou feliz que eles tenham perdoado meu filho. Esse é um fardo que foi tirado dos nossos ombros”.

Becky Aranda revelou que a família de Landen orou por seu filho: “Eles oraram por ele”, disse ela, acrescentando que espera que Deus tenha misericórdia de seu filho.

Recuperação

O pequeno Landen tem feito progressos notáveis em sua recuperação, apesar da queda devastadora, de acordo com uma atualização de Mac Hammond, pastor da igreja da família Hoffman.

Ele revelou que uma ressonância magnética de cinco horas mostrou resultados que os médicos chamam de “verdadeiramente um milagre”.

“Não havia evidência de danos cerebrais … nem havia inchaço no cérebro”, disse Hammond à congregação. “Sem lesão na medula espinhal, sem danos nos nervos, sem lesões internas que colocam a vida em risco. Houve algum pequeno sangramento interno que precisou ser resolvido ”.

“Um de seus médicos assistentes disse isso: ‘Isso é realmente um milagre. É como se ele tivesse caído de uma bicicleta em vez de ser arremessado do terceiro andar do shopping”, acrescentou ele.

Uma atualização posterior da página da GoFundMe de Landen – que arrecadou mais de US $ 1 milhão – observou que o menino sofreu “complicações não fatais de seus ferimentos, que exigiram procedimentos adicionais para corrigir”.

“Somos gratos a Jesus por nos erguer e proporcionar uma cura contínua. Continuamos a contar com suas orações e agradecemos muito por seu respeito à nossa privacidade durante este período difícil”, escreveu a família em uma publicação.

Comentário