Gov. José Melo responde acusações de Sen. Vanessa Grazziotin, lembrando-a de como ela chegou ao senado

0
450

O Governador do Estado do Amazonas José Melo, enviou uma carta com resposta à publicação assinada por Vanessa Grazziotin, “pavoroso, sim!, Acidente, não!”. Publicado na Folha de São Paulo.

Na carta, o governador demonstra seu respeito e lembra a mesma do seu esforço durante o período eleitoral para que ela chegasse ao Senado Federal. José Melo também citou a conduta da senadora com irresponsável, oportunista. Escreveu também que há outros oportunistas em mandato como o senador Eduardo Braga que tem usado dos últimos acontecimentos, em Manaus, para incrimina-lo.
Melo citou a coluna ‘Painel’ , Folha de São Paulo, a acusação de que a senadora teria recebido doação, em 2012, quando era candidata à Prefeitura de Manaus, da empresa ligada à terceirização.
Na matéria Vanessa Grazziotin tenta responsabilizar, pela chacina, a terceirização do sistema prisional do Amazonas. Entretanto, a terceirização desse sistema iniciou durante o mandato de Eduardo Braga como governador do estado. Melo, explicou ainda que a causa de tudo isso são o tráfico de drogas e a disputa por poder dentro dos presídios.

Foto: Reprodução

Em outras entrevistas, o senador Eduardo Braga teria acusado o governo Melo de ter negociado votos, com base em gravações de um criminoso, no auge da disputa eleitoral. Todavia, o áudio pode ser usado contra o candidato que se beneficiou e explorou eleitoralmente dessa mídia.
Em resposta também a esse comportamento negativo, Melo redige as matérias de blogs, jornais entre outro, aonde Braga é citado em delações premiadas da operação lava jato, como tendo recebido valores, ilicitamente, de empreiteiras.
Durante dois anos de governo de José Melo, quase duplicou a população carcerária e 70% destes eram criminosos do tráfico. Apreendeu também mais de vinte e uma toneladas de drogas, mais do que nos últimos vinte anos, inclusive mais do que os oito anos de mandato de Eduardo Braga, como governador.
O governo Melo parece não levar em conta a falha no serviço de segurança dos presídios, muito menos o não pedido de apoio da segurança Federal do país. Isso pode ter sido um dos fatores contribuintes para a chacina que deixou 60 mortona e centenas de foragidos, causando o desespero das famílias e da população amazonense.

CARTA ABERTA – GOVERNADOR JOSÉ MELO.pdf

Comentário