Educadores participam de Formação dos Programas de Correção de Fluxo ‘Se Liga e Acelera’

0
20
Fotos: Cleomir Santos/ Semed

Aproximadamente 160 educadores participam da Formação dos Programas de Correção de Fluxo ‘Se Liga e Acelera’, da Secretaria Municipal de Educação (Semed), em parceria com o Instituto Ayrton Senna (IAS). O encontro ocorre até quinta-feira (14), na Divisão de Desenvolvimento Profissional do Magistério (DDPM), em tempo integral, e reúne professoras, tutores (professores que atuam como orientadores em sala de aula) e assessores pedagógicos das Divisões Distritais Zonais (DDZs) da Semed.

Os programas de correção de fluxo visam promover melhoria da qualidade da educação, em especial, corrigir a distorção idade-série e a deficiência do processo de ensino e aprendizagem dos alunos da rede pública de Manaus. O recurso para execução da parceria está previsto no financiamento contraído pela Prefeitura de Manaus junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O objetivo principal da formação deste ano é a troca de informações e socialização do trabalho pedagógico. Para os educadores que atuam no programa Se Liga, a temática será a alfabetização. Já no Acelera, a abordagem será interdisciplinar, que compõe a proposta curricular do 3º ao 5º ano do Ensino Fundamental.

De acordo com a subsecretária de Gestão Educacional, Euzeni Trajano, o ano letivo começa com acervo de seis mil livros comprados para professores e alunos, beneficiando mil alunos do Se Liga e dois mil do Acelera, adquiridos junto ao trabalho do Proemem.

“Esse momento formativo é essencial para que nós possamos continuar com programa, com a qualidade efetiva, pois já temos percebido uma grande correção de fluxo. Isso para nós é motivo de muito orgulho, é um trabalho muito forte do reforço escolar”, comentou.

Segundo a coordenadora municipal do Instituto Ayrton Senna na Semed, Neuza Viana, a formação ocorre com instrutores da própria Secretaria. “Desde 2015, o índice de distorção idades-série baixou quase 8%. Temos uma meta ambiciosa e ousada de 5% até o final da parceria com o IAS em 2022. O índice é muito difícil de baixar, porque Manaus é uma cidade com caraterística de Estado”, concluiu.

A assessora dos programas de correção de fluxo, Jucielma Sena Alves, da Divisão Distrital Zonal (DDZ) Norte, afirmou que 16 unidades de ensino trabalham com os programas beneficiando mais de 570 alunos. Para ela, a formação é importante para a continuidade das atividades nas escolas. “É um trabalho de acompanhamento diário, onde fazemos as intervenções necessárias para que esses alunos venham obter a aprendizagem em sala de aula. Para esse trabalho, a divisão Norte conta com quatro tutores que visitam as turmas, auxiliando os professores e levando suporte para uma aprendizagem significativa”, disse.

A professora Sandra Regina Algaranhães da Silva, da Escola Municipal Roberto da Silva Peixoto, bairro Cidade Nova, zona Centro-Sul, trabalha com programa Acelera, com 18 alunos do 3º ao 5º ano, para ela é fundamental participar da formação.

“É uma formação de alguns dias, pois já somos veteranos e precisamos fazer uma troca de experiência. Depois disso, vamos conseguir fazer com que o trabalho consiga mais êxito do que foi ano passado, justamente porque trabalhamos com indicadores. Cada professor vai contar sua experiência e vamos somar tudo no final”, pontuou.

Comentário