É correto proibir membros de outras denominações cristãs de participar da Ceia do Senhor?

0
21
Foto: Reprodução/ Internet

Algumas igrejas evangélicas têm o costume de proibir que membros de outras denominações cristãs de participarem da Ceia do Senhor. Afinal, esse impedimento é bíblico? Acompanha o artigo para tirar suas dúvidas.

A prática de proibir membros de outras igrejas evangélicas de tomarem o pão e beberem o vinho causa tristeza e de certa forma, “perturbação”, pois, se a Bíblia nos manda viver em comunhão com os nossos irmãos em Cristo (Salmo 133.1; João 13.34-35), como uma igreja poderia praticar essa exclusão e, ao mesmo tempo, estar agradando a Deus?

A grande maioria das igrejas que praticam isso se baseia em normas de homens, o que nos deixa ainda mais convictos de que estamos diante de uma atitude partidária, pois, em momento algum, encontramos na Bíblia apoio para a exclusão de irmãos de outras igrejas na reunião do partir do pão (Atos 2.42). Para identificar e condenar o erro eclesiástico de se impedir a comunhão com os irmãos em Cristo de outras denominações na Ceia do Senhor. Vamos analisar os principais textos bíblicos referentes a essa solenidade.

A primeira ceia pode ser descrita nos evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas. Os convidados foram apenas os doze apóstolos (Mt 26.20; Mc 14.17; Lc 22.14). Talvez este aparente exclusivismo de Jesus tenha despertado o ego desses líderes precipitados, os inflamando, a partir de uma interpretação temerária das escrituras, a praticar essa segregação.

Porém, quando analisamos I Coríntios 11.23-32, essa atitude carnal é desmascarada. A carta de Paulo aos Coríntios foi enviada para os irmãos em Cristo, ou seja, para aqueles que professavam servir a Jesus. Logo, assim como ocorreu na primeira Ceia, só devem participar dela quem realmente confesse Jesus como Senhor e Salvador.  Entendemos que somente as pessoas que não são cristãs devem ser impedidas de fazer parte dessa comunhão (1 Co 10.16).

Pronto! Identificamos a legítima proibição, que para aquelas que não confessam Jesus Cristo como Senhor e Salvador de suas vidas. Sendo assim ninguém pode proibir um cristão de cear, vemos isso baseado em I Coríntios 11.28: “Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão, e beba deste cálice”. Nesse contexto observemos que o próprio cristão deve se analisar, e caso veja que não está em condições de ceiar, então que não participe da mesa, pois se participar “será culpado do corpo e do sangue do Senhor. Porque o que come e bebe indignamente come e bebe para a sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor” (I Co 11.27, 29).

O que pode acontecer com uma pessoa que participa da Ceia do Senhor vivendo uma vida de pecado?

Em I Coríntios 11.30-31, Paulo nos dá um alerta sobre isso. “Por causa disso, há entre vós muitos fracos e doentes e muitos que dormem [morrem]. Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados”. E quem faz esse julgamento e executa o juízo? O próprio Deus: “Mas, quando somos julgados, somos repreendidos pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo” (I Co 11.32).

Logo, entendemos que Deus não dá autoridade a nenhum pastor, de proibir um cristão de cear; porém, deve sempre advertir os presentes com relação ao perigo de participarem da Ceia do Senhor com a vida errada.

Comentário