Diário de Bordo – O Brasil de Refugiados

0
687

 

Você sabia que, de acordo com a JMM, o Brasil também é um país que está na rota dos refugiados. Hoje o país tem um total de 6.492 refugiados de mais de 80 nacionalidades diferentes e outras 556 pessoas reassentadas, segundo divulgados pelo CONARE em janeiro de 2015. Sírios e angolanos são os que mais entraram no país.

Eles chegam sem documentos, trabalho e sem um lugar para morar. Sua igreja pode ajudá-las a viver em nosso país de forma legalizada. ‘A perseguição destrói tudo dentro de você’, diz cristão paquistanês refugiado no Brasil.

Segundo a BBC, Os problemas do pastor começaram em 2009, quando recebeu em seu escritório na igreja um homem que o convidou a se converter ao Islã. Ele negou. “Fui educado, porque no Paquistão você não pode xingar”, disse Masih.

A necessidade de polidez não era apenas por educação, era medo de ser acusado de blasfêmia, um crime para o qual a punição pode ser a morte. “Ele voltou duas ou três semanas depois e falou a mesma coisa. Na terceira vez, ele me disse: ‘te ofereci o Islã três vezes e você o desonrou três vezes. Agora, fique pronto para as consequências.”

A pressão veio rápido: duas semanas depois do último encontro, Masih recebeu uma carta do tribunal local no qual o ofendido exigia que o pastor lhe pagasse US$ 70 mil (cerca de R$ 220 mil) pela ofensa cometida. Ele teve dificuldades em conseguir um advogado, pois, segundo conta, ninguém queria defender um cristão.

O caso se arrastou no tribunal por quatro anos até que o juiz decidir um valor menor, algo dentro das possibilidades de Masih. O perseguidor, porém, não queria o dinheiro, mas a conversão. No começo de 2013, ele conta ter sido agredido.

“O meu acusador chamou um bando de fanáticos que me atacaram na minha casa. Me bateram na frente dos meus filhos e da minha esposa. Quando cansaram, disseram que iriam me acusar de blasfêmia”. O risco se tornara grande demais para ficar no Paquistão.

Vamos orar pelos nossos irmãos refugiados aqui também.

Comentário